A melhor defesa contra o câncer é você

Muitas mulheres têm medo da reposição hormonal causar câncer.

Na verdade, este sentimento se baseia, principalmente, em pesquisas antigas e desatualizadas.

Atualmente, com a evolução dos medicamentos nas últimas décadas, este tratamento está bem mais seguro e os hormônios deixaram de ser os grandes vilões.

Além disso, estudos realizados pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) revelaram que 80 a 90% dos casos de câncer estão relacionados a causas externas, como por exemplo a poluição, alimentos ultraprocessados, sedentarismo, tabagismo, consumo excessivo de álcool, etc.

Portanto, vamos aproveitar o final de semana para refletir sobre nossos hábitos e qualidade de vida.👍🏻

O corpo no seu tempo

A perimenopausa (período que antecede a menopausa) e suas alterações geralmente começam após os 40 anos.

Algumas mudanças estão relacionadas à diminuição na produção de hormônio, mas outras podem estar relacionadas a problemas clínicos ou efeitos da idade.

Entre as causas não hormonais podemos destacar problemas da tireoide, depressão ou efeitos colaterais de alguns medicamentos.

Portanto, é importante comunicar qualquer alteração no corpo para seu médico.

Nossa amiga vitamina D

Como sabemos, a diminuição na produção dos hormônios ovarianos, principalmente depois da menopausa, tem impacto nos ossos deixando-os mais frágeis, processo chamado de osteoporose.

Uma das substâncias que combatem esse processo é a vitamina D, que precisa ser ativada pelo sol.

Se os níveis desta vitamina estiverem muito baixos, há necessidade de fazer sua reposição através de medicamentos.

Além disso, a vitamina D também é importante para melhorar seu sistema imunológico e, também, prevenir doenças como pressão alta e diabetes.

Portanto, pergunte ao seu médico se você precisa fazer essa reposição e qual seria a quantidade mais adequada.

Mas, não esqueça de tomar sol !

Insônia

Dormir bem é fundamental para nossa saúde.

Noites mal dormidas engordam. Elas alteram os níveis do hormônio que controla a sensação de fome e levam aos famosos “assaltos noturnos à geladeira”.

Além disso, a privação do sono dobra as chances de infartos e acidentes vasculares cerebrais.

Algumas mulheres conseguem diminuir, ou mesmo parar, os medicamentos hipertensivos apenas melhorando sua qualidade do sono.

Quem tem insônia deve procurar especialistas na área, para rever hábitos que afetam o sono e, eventualmente, avaliar se há necessidade de tratamento medicamentoso.

Clique aqui para ver algumas dicas para dormir melhor.

Ouve bem?

Com a proximidade da menopausa, a produção hormonal ovariana diminui.

Um desses hormônios, o estrogênio, tem importante papel no funcionamento do sistema nervoso, inclusive na audição, e a redução dele pode restringir a capacidade auditiva.

Os sintomas do climatério podem atuar como desencadeadores na diminuição da audição que, geralmente, começa pelo ouvido esquerdo.

Cerca de uma em cada quatro pessoas, entre 50 e 65 anos, costumam apresentar este problema.

Sendo assim, é importante buscar a avaliação de um otorrinolaringologista, após os 50 anos.

Isso foi útil para você?

Escreva aqui nos comentários 👍🏻

Cuidados com os dentes

Após a menopausa, em virtude da diminuição dos hormônios, e também da idade, alguns problemas dentários podem surgir.

Entre eles, estão maior sensibilidade ao calor e ao frio, além de retração gengival que, em quem utiliza próteses dentárias, aumenta o perigo de lesões nas gengivas.

Diabetes e anemia são fatores que agravam esses quadros, bem como efeitos colaterais de alguns remédios, ou mesmo automedicação com uso inadequado de vitaminas e cálcio.

Portanto, é fundamental a boa higiene bucal, com escovação dos dentes e utilização de fio dental diariamente.

Além disso, também extremamente importante são as consultas regulares no dentista, com limpeza profissional dos dentes a cada semestre.

Cuide de seu sorriso !