Viajar é preciso

Peço aqui licença ao general romano Pompeu que, no século I a.C., encorajava seus marinheiros com a frase “Navigare necesse, vivere non est necesse”, repetida ao longo da história pelo poeta italiano Petrarca, no século XIV, e pelo inesquecível Fernando Pessoa.

Assim, cometo a heresia de adaptá-la à minha realidade onde “viajar é preciso”.

É preciso conhecer locais diferentes, de culturas diversas e entendimentos adaptados às suas realidades.

Quando viajo, além da evidente contribuição ao conhecimento e à cultura, pratico um verdadeiro exercício de resiliência, tolerância e respeito a visões diferentes.

Quando saio em meus passeios, entendo porque um dos significados de “viajar” é “sonhar”.

Conhecendo realidades tão diferentes, sonho com um mundo onde o convívio seja harmônico, e tenha como objetivo principal tornar a vida mais feliz.

Há 37 anos…

UFRJ 1984

Essa foto está completando 37 anos.

Nela, estão sonhadores comprometidos em cuidar das pessoas.

Durante todos estes anos, alguns sonhos se mostraram utópicos, outros improváveis, alguns surgiram, vários se realizaram, mas, o que não se modificou foi o brilho nos olhos dos que dedicaram suas vidas a cuidar das outras pessoas.

Tenho a felicidade de manter contato com grande parte desse grupo.

Minha admiração só aumenta pela coragem em manter a capacidade de sonhar, assim como a recusa de se acomodar em uma merecida aposentadoria e cessar com a exaustiva atividade do exercício da medicina.

Incansáveis na busca do conhecimento, até hoje trocamos informações e nos encontramos em inúmeros congressos.

No Rio, espalhados pelo Brasil e no exterior, continua o respeito, a amizade, a cumplicidade e a alegria dos encontros.

Hoje, aniversário de nossa formatura, comemoro a oportunidade e o privilégio de poder chamar todos de AMIGOS.

Refúgio

Hoje eu conversava com uma pessoa a respeito da Síndrome de Burnout.

É bem verdade que esta doença acomete, principalmente, profissionais da Saúde. Porém, ao entender o que ela significa, você vai perceber que também pode afetar outras pessoas.

Em tempos de pandemia, com o medo do contágio, o confinamento imposto e as dificuldades financeiras para a maioria da população, é inegável o impacto no emocional das pessoas.

Assim como as longas jornadas de trabalho sob forte pressão, a cobrança de resultados e o receio da exposição, também têm castigado muito os profissionais de saúde.

Burnout, também chamada de síndrome da estafa profissional, é uma doença causada pelo estresse ocupacional contínuo e prolongado. Ela é caracterizada por um esgotamento profissional, com perda da personalidade e ineficácia na realização das tarefas, agravados pela indolência e sentimento de culpa.

Sendo assim, é fundamental você saber dosar a sua carga de trabalho e intercalar com momentos de descanso, para repor as energias. Atualmente, tenho escutado de muitas pessoas que trabalham ainda mais em “home office”, se comparado ao tempo dispensado na época em que o horário era cumprido na empresa.

Ficar imerso no trabalho, de forma intensa e ininterrupta, com a alegação que deixará para descansar mais tarde, é o primeiro passo para adoecer corpo e mente.

Em momentos difíceis como os atuais, é de extrema importância sabermos equilibrar as atividades laborais e o lazer. Se possível, recorrer a um local que possibilite recuperar as forças.

Por isso, quando me perguntam porque vou à Teresópolis, mesmo sem precisar e para não fazer nada, respondo:
“Nunca foi tão importante termos um refúgio”.

Feliz Dia das Mães

Feliz Dia das Mães!! Mãe de barriga ou Mãe de vida. Mãe desde sempre ou escolhida.

❤️ Os tipos mudam, mas o amor não. E é esse amor que nos permite realizar o impossível.

👉 Ser mãe é a missão de maior responsabilidade. É amar da forma mais completa. É dar o melhor de si e não esperar nada em troca. Ser mãe não é apenas gerar um filho (a).

❤️ Ser mãe é assumir o dom da criação, da doação e da entrega incondicional. Ser mãe é carregar no ventre o milagre da vida e no seu coração o milagre do amor.

Valores Cariocas: Paisagem cultural, Cidadania e Economia

Conversa ampla e livre sobre nossos valores no Rio de Janeiro como o título de Paisagem Cultural da Humanidade, conferido pela UNESCO; cidadania do carioca e economia ligada à Cultura.

Participantes:

  • Aldemar Norek
    • Arquiteto e Urbanista
    • Mestre em Ciências da Arquitetura pela UFRJ
    • Pós-graduado em Auditoria, Avaliações e Perícias de Engenharia
    • Graduando em Letras Clássicas/ Grego na UFRJ
    • Membro do Grupo de Pesquisas Paisagens Híbridas, na Escola de Belas Artes
    • EBA, na UFRJ
    • Arquiteto-Perito na PGE-RJ
    • Perito judicial no TJRJ
    • Sócio da ObjetivaBR Arquitetura, Consultoria e Construção Ltda.
  • Alexandre Carneiro (Popó)
    • Empresário de TI – CEFET/ Eletrônica e TELECOM
    • Direito/ UERJ e Cândido Mendes
    • Pós em Direito Civil e Processo Civil
  • Sérgio Teixeira
    • Médico graduado pela UFRJ, professor universitário e gestor hospitalar
    • Especialista pela UFF
    • Mestre e Doutor em Medicina pela UERJ
    • Pós-graduado em Governança Clínica e Segurança da Assistência