Dormir está difícil !

A vida saudável tem três pilares: boa alimentação, atividade física regular e boa qualidade do sono.

Principalmente durante o climatério, a atenção sobre estes fatores precisa ser redobrada.

Muitas mulheres são “multitarefas”, pois trabalham, cuidam da casa, dos filhos e do marido, etc.

No final do dia, a cabeça está cheia, o estresse está alto e, com isso, quem sofre é o sono…

Isso sem falar das que têm o hábito de, ao deitar, ficar mexendo no celular ou tablet, o que atrapalha, e muito, a chegada do sono.

O pior é que, com as noites mal dormidas, aumenta a compulsão por alimentos calóricos e, como consequência, podem surgir ganho de peso, resistência insulínica, diabetes, problemas cardíacos e hipertensão arterial.

Sendo assim, procure desacelerar, nas duas horas que antecedem o sono, com atividades mais relaxantes.

Que tal trocar o celular por um livro ou ouvir uma música calma na cama?

Evite consumir cafeína após as 6 horas da tarde

Após a menopausa, a bexiga diminui sua capacidade de armazenar urina, portanto, nesta fase é melhor não beber líquidos próximo do horário de dormir. 

Além disso, uma alimentação saudável durante o dia, sendo mais leve à noite, aliada à prática de exercícios, melhorarão sua qualidade do sono.

Melhore sua qualidade de vida ! Afinal, saúde é fundamental.

Dor nas Juntas ?

Você sente dor quando levanta e melhora quando começa a caminhar?

Sendo assim, você pode estar com artrose.

A diminuição dos hormônios, que acontece no climatério, prejudica as cartilagens e favorece o aparecimento da artrose, principalmente nas mulheres que estão com “uns quilinhos a mais”.

Mas existem algumas medidas que vão ajudar a prevenir, ou agravar, esta doença.

  • ALIMENTAÇÃO – Procure frutas e legumes antioxidantes como cebolas, maçãs, abacaxis e morangos. Peixes, ricos em ômega 3, também são muito bem-vindos. Evite alimentos industrializados, pois produzem sódio e causam inchaço e dor nas articulações.
  • ATIVIDADE FÍSICA – É muito importante a prática de exercícios regulares, de leve a moderado, de preferência com acompanhamento de um profissional de educação física. O fortalecimento da musculatura protege os ossos de impactos que aceleram o desgaste das cartilagens nas articulações.
  • TRATAMENTO – Além da fisioterapia, existem alguns medicamentos que podem ser muito benéficos para as articulações. Porém, só aceite medicamentos prescritos por um reumatologista ou ortopedista.

A artrose não tem cura, mas estes cuidados irão melhorar muito sua qualidade de vida.

O que coça ?

O líquen escleroso é uma doença crônica que causa manchas brancas, coceira e até fissuras na pele, principalmente da vulva.

Ela parece, geralmente, nas meninas que ainda não menstruam e nas mulheres após a menopausa.

O tratamento dura meses e é realizado através de cremes ou pomadas específicas.

O problema é que, quando acontece uma melhora, muitas mulheres abandonam o tratamento e pode haver uma recorrência, ou evoluir para doenças mais graves, como o câncer de vulva.

Sendo assim, procure um profissional, logo no início dos sintomas, e siga corretamente a orientação dada.

IST no Climatério?

Com o avanço no tratamento dos distúrbios sexuais, passou a ser observado um crescimento nas infecções sexualmente transmissíveis nos homens e mulheres acima de 45 anos.

Trata-se de um fenômeno não só do Brasil, mas observado por artigos científicos do Canadá, Estados Unidos, Austrália e países da Europa.

As principais razões alegadas são que:

  • As pessoas mais velhas estão mais ativas, logo, mais propensas à atividade sexual;
  • Aumento de drogas para disfunção erétil, com homens mais velhos e sexualmente ativos;
  • Maior número de divórcios na meia idade;
  • Crescimento de plataformas online para encontros, com desconhecimento dos antecedentes e da história sexual dos parceiros;
  • Baixa percepção de risco e pouco uso de preservativo, pois não precisa mais prevenir a gravidez e ocorre uma priorização da intimidade acima dos riscos de novos relacionamentos;
  • Falta de educação formal sobre sexo seguro.

E ninguém fala sobre isso:

  • Constrangimento em discutir sexo e IST em geral, tanto médicos quanto pacientes, principalmente com a população mais velha;
  • Poucas pessoas pedem para serem testadas e poucos médicos oferecem o exame;
  • Assim como acontece no HIV, o diagnóstico tardio aumenta o risco de transmissão e as complicações;
  • Particularmente no HIV, os sintomas como fadiga, fraqueza e perda de memória podem ser confundidos com sinais da idade e outras condições clínicas.

Por tudo isso, entendo como extremamente importante a formulação de campanhas para sexo seguro na maturidade.

Sexo e hormônio

Nem todos os problemas sexuais da perimenopausa estão relacionados às alterações hormonais.

No entanto, a queda na produção do estrogênio nessa fase da vida da mulher traz impactos significativos na sexualidade feminina.

Além da diminuição na sensibilidade da pele e na cognição, o que dificulta a transmissão de estímulos ao cérebro, a menor quantidade deste hormônio reduz o fluxo sanguíneo genital com prejuízo na elasticidade e lubrificação da vagina, trazendo desconforto na hora do sexo.

Porém, se o estrogênio ajuda a melhorar as condições para a prática sexual, a testosterona produzida no organismo feminino, mesmo em quantidade menor que no homem, é a responsável pela iniciativa e motivação para o sexo.

A exemplo do que ocorre com o estrogênio, os níveis de testosterona no climatério também se encontram reduzidos.

Mas calma!

Tudo isso pode ser melhorado com uma boa orientação e tratamentos adequados.

Converse com seu médico a respeito deste assunto.

Pode isso?

Esta semana, uma paciente me perguntou sobre a progesterona gel que sua amiga usa.

Gostaria de saber se poderia trocar os comprimidos deste hormônio pela apresentação em gel e associar ao de estrogênio que utiliza.

É importante saber que a progesterona tem uma absorção muito pequena pela pele e, sendo assim, não cumpre seu papel de proteção uterina na terapia de reposição hormonal, o que pode trazer consequências graves.

Até existe um produto francês de progesterona em gel, mas, para tratar algumas doenças mamárias e não para ser utilizado na reposição hormonal do climatério.

Tenha cuidado, busque sempre o acompanhamento de um especialista.

 Se tiver alguma dúvida, escreva aqui nos comentários 👍🏻

Inchada

Os sintomas da perimenopausa podem começar até cerca de 4 anos antes da menopausa. Felizmente, existem maneiras de aliviar estes desconfortos.

Uma pressão desconfortável na área abdominal causada por retenção de água ou gases no trato gastrointestinal pode parecer plenitude ou aperto e provocar ganho de peso temporário.

Os níveis hormonais da mulher flutuam durante a perimenopausa, que é o período que antecede a menopausa, e podem provocar este inchaço.

Além disso, ele também pode estar relacionado a alterações no trato gastrointestinal. Elas podem ser causadas por mudanças na dieta ou apetite, digestão lenta, estresse relacionado à menopausa ou outras condições de saúde.

O excesso de gases pode ser melhorado com medidas simples como:

– Evitar alimentos que causam retenção de gases (feijão, brócolis, frituras, etc.).

– As bebidas gasosas podem levar ao excesso de gases no estômago.

– Evitar goma de mascar. Ela pode fazer com que engula o ar, levando ao inchaço.

– Fumar também pode fazer engolir ar.

– Comer probióticos. Iogurte e outros alimentos probióticos podem promover a saúde digestiva.

– Comer refeições menores, já que as maiores podem ser difíceis de digerir, especialmente porque o metabolismo diminui durante a menopausa.

A retenção de água costuma ocorrer em mais lugares e você pode inchar nas mãos e pés, na barriga ou em todo o corpo.

Mas, semelhante à retenção de gás, existem etapas simples que se pode seguir para ajudar a reduzir o inchaço associado à retenção excessiva de líquidos.

– Mantenha-se hidratada. Enquanto a retenção de água leva ao inchaço, a hidratação mantém o trato gastrointestinal em movimento.

– Faça exercícios regulares. Suar ajuda a aliviar a retenção de água e mover os alimentos através do sistema digestivo.

– Reduza a ingestão de sal. Comer muito sal pode causar retenção de água e inchaço. Para reduzir o teor de sal, uma pessoa deve evitar alimentos processados.

A prevenção durante a menopausa pode ser o melhor tratamento e, felizmente, evitar o inchaço pode ser alcançado com estas mudanças fáceis no estilo de vida.

Mas, se o inchaço for doloroso ou prolongado, um profissional de saúde deve ser consultado.

Posso, mas não devo…

Embora seja importante se concentrar em obter os nutrientes necessários durante a menopausa, limitar os alimentos que podem exacerbar os sintomas também é fundamental. Aqui estão alguns culpados a serem observados:

Alimentos picantes: Não surpreendentemente, os alimentos picantes podem piorar as ondas de calor. Se você tende a sentir calor ou se tem pressão alta, considere evitar alimentos picantes, como pimenta, jalapenos e pimenta de Caiena.

Álcool: Tomar um copo de vinho algumas vezes por semana provavelmente não afetará seus sintomas. Mas se você beber mais de uma bebida por dia, sua saúde e bem-estar podem sofrer. O álcool interfere com o sono e pode exacerbar ondas de calor e ansiedade ou depressão. Se as inibições reduzidas o levarem à cozinha, isso também pode fazer com que você ganhe peso.

Alimentos gordurosos: Exceto peixes gordurosos e nozes, tente manter a ingestão de alimentos ricos em gordura no mínimo. Evite fast foods, frituras e biscoitos processados, bolos e lanches.

O repertório alimentar durante a menopausa não é realmente diferente do que em qualquer outro momento do ciclo de vida. A melhor abordagem a seguir é uma dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension, que significa abordagem dietética para interromper a hipertensão) ou de estilo mediterrâneo, com muitas frutas, legumes, grãos integrais, nozes e sementes.

Muitas mulheres não estão recebendo a vitamina D e o cálcio de que precisam durante os anos da menopausa. Mas tenha cuidado com quaisquer suplementos, pílulas ou poções que prometam equilibrar os hormônios, aliviar as ondas de calor ou aumentar o metabolismo e, em vez disso, converse com seu médico. Há uma variedade de remédios para os sintomas da menopausa, incluindo a terapia de reposição hormonal.