Equilíbrio

Se existe uma palavra de ação poderosa é essa aqui: RELAXE! 😜

👉🏼 Em todas as fases da mulher existem aqueles momentos de instabilidade emocional e que na maioria das vezes está ligada aos hormônios.

Quanto mais o tempo passa, as alterações hormonais se intensificam causando grande stress e desconforto o que prejudica totalmente a qualidade de vida.

👉🏼 É claro que não posso deixar de lembrar que o acompanhamento médico é fundamental nesse processo, mas existem coisas tão importantes quanto para as mulheres fazerem por conta própria para passarem por isso de maneira mais tranquila e equilibrada.

O bem-estar tem relação com práticas simples como a meditação, contato com a natureza, um bom e velho papo com as amigas, exercícios e tudo e qualquer coisa que proporcione um relaxamento profundo.

👉🏼 Essas práticas devem estar inseridas na rotina e devem ser seguidas rigorosamente. Ser constante é a chave do equilíbrio nessa fase.

Me conta aqui nos comentários qual a sua forma de se manter em equilíbrio 😉

E os dentes…

As alterações dentárias mais comuns no climatério trazem os seguintes problemas:

👉🏼 perda de dentes, retração gengival, risco maior de danos aos tecidos gengivais, “queimação” na boca e na língua, sensibilidade ao quente e gelado e diminuição da densidade mineral óssea da mandíbula.

⚠ Embora muitos desses problemas estejam relacionados à diminuição do estrogênio na menopausa, outras causas incluem idade avançada, ingestão inadequada de cálcio e de vitaminas, efeito colateral de medicamentos e condições médicas como anemia ou diabetes.

😉 A prevenção é fundamental! É recomendado escovar os dentes e
passar fio dental diariamente, fazer consultas de revisões dentais regulares e limpeza profissional duas vezes ao ano.

👉🏼 Você já sente alguma dessas alterações?

Há 37 anos…

UFRJ 1984

Essa foto está completando 37 anos.

Nela, estão sonhadores comprometidos em cuidar das pessoas.

Durante todos estes anos, alguns sonhos se mostraram utópicos, outros improváveis, alguns surgiram, vários se realizaram, mas, o que não se modificou foi o brilho nos olhos dos que dedicaram suas vidas a cuidar das outras pessoas.

Tenho a felicidade de manter contato com grande parte desse grupo.

Minha admiração só aumenta pela coragem em manter a capacidade de sonhar, assim como a recusa de se acomodar em uma merecida aposentadoria e cessar com a exaustiva atividade do exercício da medicina.

Incansáveis na busca do conhecimento, até hoje trocamos informações e nos encontramos em inúmeros congressos.

No Rio, espalhados pelo Brasil e no exterior, continua o respeito, a amizade, a cumplicidade e a alegria dos encontros.

Hoje, aniversário de nossa formatura, comemoro a oportunidade e o privilégio de poder chamar todos de AMIGOS.

Passou por isso?

Muitas mulheres podem achar que os sintomas vulvovaginais podem ser intensificados próximo a menopausa devido a redução dos níveis de estrogênio.


👉🏼 Há muitas possíveis causas para os sintomas vulvovaginais, incluindo:

• Infecções vaginais, como aquelas causadas por leveduras (fungos)
• Infecções sexualmente transmissíveis, incluindo gonorreia, clamídia, herpes, verrugas, ou tricomoníase, os quais podem causar inflamação, corrimento, dor ou coceira vaginal.
• Lesões nas fibras de nervo pélvico, as quais causam dor ou sensação de queimação na vulva
• Reações alérgicas às substâncias químicas contidas em sabonetes, banhos de espuma, espermaticidas, camisinhas, sprays para a higiene feminina, ou tampões e absorventes.

👉🏼 Quando a mulher tem a menopausa, as quedas dos níveis de estrogênio
podem causar o afinamento, a secura e a diminuição da elasticidade dos tecidos da vulva e do revestimento da vaginal.

As secreções vaginais diminuem, resultando em uma lubrificação reduzida.

👉🏼 Sem o devido tratamento, o problema pode piorar e os tecidos vaginais podem inflamar.

👉🏼 Quando estão frágeis, os tecidos vaginais ficam propensos a lesões, ferimentos e sangramentos durante a relação sexual ou o exame pélvico.

A dor pode fazer com que a relação sexual deixe de ser mais prazerosa, ou até mesmo possível.

👉🏼 Todas as mulheres no climatério e nos estágios posteriores devem passar por uma avaliação completa e regular da saúde vulvovaginal, independentemente de terem sintomas ou serem sexualmente ativas. Fique atenta!⚠

Refúgio

Hoje eu conversava com uma pessoa a respeito da Síndrome de Burnout.

É bem verdade que esta doença acomete, principalmente, profissionais da Saúde. Porém, ao entender o que ela significa, você vai perceber que também pode afetar outras pessoas.

Em tempos de pandemia, com o medo do contágio, o confinamento imposto e as dificuldades financeiras para a maioria da população, é inegável o impacto no emocional das pessoas.

Assim como as longas jornadas de trabalho sob forte pressão, a cobrança de resultados e o receio da exposição, também têm castigado muito os profissionais de saúde.

Burnout, também chamada de síndrome da estafa profissional, é uma doença causada pelo estresse ocupacional contínuo e prolongado. Ela é caracterizada por um esgotamento profissional, com perda da personalidade e ineficácia na realização das tarefas, agravados pela indolência e sentimento de culpa.

Sendo assim, é fundamental você saber dosar a sua carga de trabalho e intercalar com momentos de descanso, para repor as energias. Atualmente, tenho escutado de muitas pessoas que trabalham ainda mais em “home office”, se comparado ao tempo dispensado na época em que o horário era cumprido na empresa.

Ficar imerso no trabalho, de forma intensa e ininterrupta, com a alegação que deixará para descansar mais tarde, é o primeiro passo para adoecer corpo e mente.

Em momentos difíceis como os atuais, é de extrema importância sabermos equilibrar as atividades laborais e o lazer. Se possível, recorrer a um local que possibilite recuperar as forças.

Por isso, quando me perguntam porque vou à Teresópolis, mesmo sem precisar e para não fazer nada, respondo:
“Nunca foi tão importante termos um refúgio”.

Ressecamento vaginal

Uma das principais causas da secura vaginal é a diminuição da quantidade de estrogênio no organismo, pois esse é o hormônio responsável por manter uma fina camada de líquido lubrificante nas mucosas da vagina, evitando a secura vaginal.

👉🏼 Além da terapia hormonal, que ajuda muito no tratamento dessa secura, existem outras opções, não hormonais, que podem se encaixar para o caso de cada paciente.

⚠ Busque um ginecologista de confiança para iniciar um tratamento personalizado pra você!

Você tem medo?

A reposição hormonal é um tratamento baseado no uso de remédios capazes de repor as perdas de hormônios ovarianos que ocorrem na mulher durante o climatério.

Seu uso sempre causa insegurança em muitas mulheres. São muitas dúvidas sobre seus efeitos e a real necessidade.

Para começar, é necessária uma avaliação considerando características individuais das mulheres antes de iniciar o tratamento. A dose é mínima e o tempo de uso desses hormônios varia.

Os principais questionamentos que recebo são:


Todas as mulheres precisam da terapia hormonal?
– Depende da mulher e do histórico dela. A partir de uma boa avaliação e exames clínicos é que se pode chegar a uma conclusão.

A reposição hormonal pode causar câncer de mama?
– Também depende de diversos fatores ligados ao histórico da paciente. Nada pode ser generalizado.

A reposição hormonal faz bem para a saúde da pele?
– Faz sim! Com a volta dos hormônios a pele fica mais hidratada!

A minha libido pode aumentar?
– Pode!


E Você? Quais são as suas dúvidas? Estou à disposição para te ajudar!