A história do Outubro Rosa

Em 1982, nos Estados Unidos, Nancy G. Brinker fundou a organização Susan G. Komen, em homenagem a sua irmã, falecida dois anos antes, de câncer de mama.

Em outubro de 1986, aconteceu o primeiro Mês de Conscientização do Câncer de Mama, que se tornou um evento anual, até os dias de hoje nos meses de outubro.

Mas foi em 1991 que Komen distribuiu, para cada participante da corrida “NYC Race for the Cure”, uma fita rosa, que se tornaria o símbolo internacional de combate ao câncer de mama.

Ao contrário do que muitos pensam, a cor rosa foi escolhida, não pela associação com o feminino, mas por ser a coloração da saúde.

Sendo assim, fica aqui minha homenagem a Nancy, que transformou US$ 200,00 e uma caixa de sapatos cheia de nomes de doadores em potencial, na organização que se tornou a maior fonte de financiamento sem fins lucrativos do mundo para a luta contra o câncer de mama.

Até o momento, a organização investiu mais de US$ 3,3 bilhões em pesquisas inovadoras, alcance de saúde comunitária, advocacia e programas em mais de 60 países.

Tudo isso, fruto do amor e da promessa entre duas irmãs, que já reduziu em 40% as mortes por câncer de mama.

BIRADS

Muita gente tem me perguntado sobre a classificação BIRADS nas mamografias.

Este nome estranho, na verdade, é uma sigla em inglês (Breast Imaging Reporting and Data System) que, em uma tradução livre, significa “Sistema de Relatório de Dados sobre Imagem da Mama”.

A mamografia serve, principalmente, para o rastreio do câncer de mama e é o exame de escolha para esta finalidade.

Porém, quando as mamas são muito densas e a imagem da mamografia fica muito branca, podendo esconder pequenas lesões, geralmente solicitamos uma ultrassonografia ou ressonância magnética das mamas para ajudar na análise.

O BIRADS vem sendo utilizado nestes 3 exames e serve para resumir o que é visto nas imagens.

Sendo assim, segue a classificação e seus significados, para sua melhor compreensão:

• BIRADS 0 – Exame inconclusivo. Normalmente, essa classificação é utilizada para mamas muito densas e, em geral, precisamos complementar com outro tipo de exame (ultrassonografia ou ressonância magnética).
• BIRADS 1 – Exame normal, sem alterações aparentes.
• BIRADS 2 – Presença de alteração de caráter benigno.
• BIRADS 3 – Alterações provavelmente benignas.
• BIRADS 4 – Achado suspeito.
• BIRADS 5 – Achado altamente suspeito.
• BIRADS 6 – Presença de lesão investigada previamente e com resultado positivo para câncer.

Pronto! Agora você já sabe, mas, mesmo que seu exame esteja normal, não deixe de levá-lo para seu médico.

Ele é a pessoa certa para indicar o acompanhamento mais adequado para você.

Isso foi útil para você? Comente aqui que eu quero saber 👍🏻

Como diminuir o risco para câncer de mama

Você sabia que grande parte dos casos de câncer de mama podem ser evitados com hábitos saudáveis?

Listei aqui alguns para você avaliar e ajustar na sua rotina:

👉Praticar atividade física
A prática regular de atividade física influencia no controle de peso, no nível de gordura e atua diretamente sobre hormônios e marcadores inflamatórios.

👉Reduzir o consumo de álcool
Mesmo baixos níveis de ingestão de álcool têm sido associados a um aumento do risco dessa doença. Portanto, o ideal é não consumir álcool ou, ao menos, consumir o menos possível.

👉Alimentar-se de forma saudável
Alguns alimentos podem tornar seu organismo mais saudável, estimular o sistema imunológico e ajudar a manter o risco de câncer de mama mais baixo. Tente incluir mais verduras e frutas nas suas refeições e evite alimentos processados.

👉Não fumar
Fumar causa várias doenças e está associado a um risco maior de câncer de mama em mulheres na pré-menopausa. Portanto, é importante não fumar.

👉Amamentar
Mulheres que optam por amamentar por pelo menos vários meses podem ter um benefício adicional de reduzir o risco de câncer de mama.

👉Prestar atenção no próprio corpo
Fique atenta às mudanças do seu corpo. Para isso, olhe, apalpe e sinta suas mamas no dia a dia. Se notar qualquer alteração, como sensação de um caroço ou alterações na pele da mama, consulte um médico.

👉Consultar médico periodicamente e fazer check-up de forma regular
É importante que toda mulher consulte um médico ginecologista ao menos uma vez por ano desde a puberdade.

Ele é o médico especialista na saúde feminina e solicitará exames de rotina para verificar se há alguma irregularidade.

Gostou desse post? Então compartilha!

Autoexame

O autoexame detecta o câncer em estágio avançado!

Na grande maioria dos casos, ao apalpar os seios é muito difícil realizar um diagnóstico precoce pois a mulher só encontra tumores com mais de 2 cm, o que significa que o câncer já pode estar em um nível avançado.

É, portanto, imprescindível frequentar um ginecologista frequentemente para esse acompanhamento através, inclusive, de exames periódicos específicos. Detectar um câncer na mama precocemente apresenta 95% de chance de cura!

Câncer de mama

Assim como cada diagnóstico de câncer é único, a escolha do tratamento também será de acordo com as necessidades e condições do paciente e o acompanhamento de oncologista e mastologista também se fazem essenciais nesses casos.

Preservar a mama é sempre a primeira opção e nem sempre após o tratamento de um câncer de mama o órgão precisa ser retirado. Porém, em alguns casos a retirada é sim fundamental.

Vários parâmetros devem ser avaliados, como por exemplo tamanho e localização do tumor; ou se a mulher apresenta um risco elevado de desenvolver um câncer de mama (alterações genéticas).

Você já passou por isso? Quer bater um papo? Me mande uma mensagem nos comentários e vamos conversar!

Colocar protese ou não?

Como toda cirurgia, a colocação de próteses mamárias apresenta riscos. Não vou citar todos os riscos mas sim alertar para alguns muito relevantes.

A mulher que tem um maior risco de desenvolver câncer de mama deve ter uma atenção redobrada. A prótese não causa a doença, mas pode prejudicar o diagnóstico precoce, uma vez que ela pode atrapalhar a mamografia.

Outra situação possível, na dependência da técnica usada na cirurgia, é o comprometimento de ductos mamários, o que pode prejudicar bastante a amamentação e acarretar outras complicações.

O mais importante é sempre conversar bastante com o seu ginecologista e cirurgião plástico para tomar a decisão de aumentar ou não as mamas de acordo com a real necessidade e desejos.

Estão dizendo isso …

MITO !

Você já ouviu falar que desodorantes e antitranspirantes estão associados a doenças como o câncer de mama? Pois é, apesar de esse argumento para não utilizá-los ser bastante repetido no boca a boca, a história não tem embasamento científico.

O que talvez aconteça é que a aplicação destes produtos podem causar reação alérgica no local ou até um quadro denominado hidradenite supurativa, uma doença inflamatória frequente em mulheres, que acomete preferencialmente os folículos de algumas áreas da pele como as axilas, a região das mamas, a virilha, a região genital e a região glútea.

O mais importante de tudo é, se você possui qualquer dúvida sobre os benefícios e malefícios de qualquer tipo de produto ou tratamento, procure um especialista no assunto, sempre!